Atenção

Para compartilhar as atividades do Blog TEXTO EM MOVIMENTO em outros blogs é preciso ter autorização prévia. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

sábado, 29 de março de 2014

Sobre sucatas - Interpretação e produção 7º/8º anos - Memórias Literárias

Memórias literárias se constituem num gênero textual que mostra uma época com base em lembranças pessoais. Embora a realidade seja a base, há liberdade para recriar as situações ou os fatos narrados.  Podem ser escritas a partir de uma vivência pessoal ou com base no depoimento de uma pessoa, neste caso o autor transforma o relato num texto em primeira pessoa, como se os fatos tivessem acontecido com ele.
O texto abaixo é de Manoel de Barros é um dos maiores poetas brasileiros. Pensado inicialmente para ser uma autobiografia, o livro do qual esse texto foi retirado retrata o período da infância do poeta. Escrito em prosa poética, o texto traz a marca do autor: brincar com as palavras.


Sobre sucatas

Isto porque a gente foi criada em lugar onde não tinha brinquedo fabricado. Isto porque a gente havia que fabricar os nossos brinquedos: eram boizinhos de osso, bolas de meia, automóveis de lata. Também a gente fazia de conta que sapo é boi de cela e viajava de sapo. Outra era ouvir nas conchas as origens do mundo. Estranhei muito quando, mais tarde, precisei de morar na cidade. Na cidade, um dia, contei para minha mãe que vira na Praça um homem montado num cavalo de pedra a mostrar uma faca comprida para o alto. Minha mãe corrigiu que não era uma faca, era uma espada. E que o homem era um herói da nossa história. Claro que eu não tinha educação de cidade para saber que herói era um homem sentado num cavalo de pedra. Eles eram pessoas antigas da história que um dia defenderam a nossa Pátria. Para mim aqueles homens em cima da pedra eram sucata. Seriam sucata da história. Porque eu achava que uma vez no vento esses homens seriam como trastes, como qualquer pedaço de camisa nos ventos. Eu me lembrava dos espantalhos vestidos com as minhas camisas. O mundo era um pedaço complicado para o menino que viera da roça. Não vi nenhuma coisa mais bonita na cidade do que um passarinho. Vi que tudo o que o homem fabrica vira sucata: bicicleta, avião, automóvel. Só o que não vira sucata é ave, árvore, rã, pedra. Até nave espacial vira sucata. Agora eu penso uma garça branca do brejo ser mais linda que uma nave espacial. Peço desculpas por cometer essa verdade.

BARROS, Manoel de. Memórias inventadas: As infâncias de Manoel de Barros. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2010.

ATIVIDADES 


Através das lembranças do tempo de criança, ficamos sabendo algumas informações sobre o narrador:

1.    Como eram seus brinquedos?

2.    Onde o narrador passou a primeira parte de sua infância?

3.    Para ele, o que é mais importante ou mais bonito, uma estátua de bronze ou um simples passarinho? Justifique sua resposta retirando um trecho do texto.

4.    Pelo que o menino conta à mãe e pela resposta que ela lhe dá, você sabe o que é?

5.     - No trecho “Eles eram pessoas antigas da história que um dia defenderam a nossa Pátria.”, a que se refere o vocábulo “Eles”, em destaque?

6.    Indique se cada trecho abaixo é uma OPINIÃO ou um FATO:

“(...) a gente foi criada em lugar onde não tinha brinquedo fabricado.” _______
“Para mim aqueles homens em cima da pedra eram sucata.”  _____________
“Não vi nenhuma coisa mais bonita na cidade que um passarinho” _________


Produção de texto


Apesar de você ser jovem, deve ter algumas lembranças bem interessantes da infância.  Escolha uma delas para escrever um pequeno texto, no estilo do texto de Manoel de Barros, ou seja, relembre, recrie, reinvente com uma pitada de poesia. 

5 comentários:

  1. Muito bom, me ajudou d+! Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo trabalho!!! Gosto muito das suas atividades e uso algumas em minhas aulas. Será que poderia me enviar o gabarito dessa atividade?

    ResponderExcluir
  3. Oi tentei te mandar, se não receber, mande seu email...

    ResponderExcluir