Atenção

Para compartilhar as atividades do Blog TEXTO EM MOVIMENTO em outros blogs é preciso ter autorização prévia. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

domingo, 30 de agosto de 2015

Produção de texto 2 - Narrativa de suspense

Produção de texto - Narrativa de suspense

Ao produzir uma narrativa, lembre-se: o título deve ser interessante, fazer parágrafos, usar pontuação adequada, manter o mesmo foco narrativo, manter o interesse do leitor, prestar atenção à ortografia...


Continue o texto a partir da seguinte situação inicial: 


No sábado, resolvemos ir a uma festa na casa de um colega, do outro lado da cidade. Como não conhecíamos bem o bairro, descemos do ônibus dois pontos antes e tivemos que caminhar. Já estava escurecendo e o que encontramos naquela esquina, encheu-nos de pavor.


Produção de texto 1 - Narrativa de aventura

Produção de texto 1 – Narrativa de Aventura 

Produza um texto narrativo em que uma personagem  viverá uma aventura fantástica: ele (ou ela) encontrará um livro muito antigo e será “tragado”  para seu interior; lá encontrará um mundo fantástico e bem diferente do nosso. A partir daí, o personagem viverá uma grande aventura.  Quando voltar a nossa realidade, o personagem deve concluir que a leitura sempre lhe proporcionará grandes aventuras.
 Não se esqueça de que:
• dar um título bem interessante;
• descrever o cenário (lugar)
• os personagens devem ter nomes;
• o foco narrativo deve ser em 3ª pessoa;
• o texto deve ter no mínimo 20 (vinte) linhas; e, no máximo, 25 (vinte e cinco) linhas;

• podem existir diálogos.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Charge - Maioridade penal - Interpretação

O termo charge é proveniente do francês “charger” (carregar, exagerar). Na charge o autor expressa graficamente a sua visão sobre determinadas situações já acontecidas ou em acontecimento ao seu redor por meio do humor.
É um gênero atraente aos olhos do leitor; pois, a imagem é de rápida leitura, transmite múltiplas informações de uma só vez. No entanto, se o leitor não tiver conhecimento de mundo, ele não entenderá a charge, pois precisa também estar informado acerca do contexto político e social do país.


Observe com atenção a charge, lembrando que os elementos linguísticos são importantes para explicitar a sua intencionalidade ou completar o sentido.

Charge fonte: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/

a. Quem é o autor dessa charge?

b. Qual o tema abordado?

c. O que os policiais estão fazendo?

d. Uma palavra pode ter vários sentidos. Nessa charge que sentidos podemos atribuir à palavra “limpos”?

e. O que o policial quis dizer quando falou ao parceiro “Sorte sua”?



f. Você é contra ou a favor da redução da maioridade penal? Use argumentos para reforçar a sua posição sobre o assunto.

terça-feira, 25 de agosto de 2015

HINO NACIONAL - sugestão de atividade


A letra do HINO NACIONAL parece muito distante da realidade dos alunos. Mesmo aqueles que conseguem cantá-lo, não sabem muito sobre o significado da letra.

Um projeto que iniciei ano passado foi o de primeiro trabalhar a letra do Hino, conhecendo os significados das palavras pouco conhecidas ou em desuso. Desta maneira, além do uso do dicionário, pode-se trabalhar gramática, como a questão do uso do sujeito.

Dependendo da série, pode-se apresentar uma atividade com grau maior de dificuldade. Para o 6º ano, o uso de dicionário é uma ótima atividade, além de conhecer as palavras do HINO, saber usar o dicionário é fundamental para qualquer matéria.

1ª ETAPA


  • Distribuir uma cópia do Hino Nacional para cada aluno (ou dupla) ou pedir que eles copiem do livro didático ou apostila caso tenham;
  • Solicitar que sublinhem as palavras que não conhecem, o significado e fazer uma lista no caderno;
  • Solicitar que procurem no dicionário,  e escrevam no caderno, lembrando que o dicionário apresenta várias definições para um mesmo verbete, devem  escolher aquele que mais se aproxima do sentido na frase;
  • Trocar a s palavra sublinhada no HINO por seus  significados;
Fazer a leitura do hino, verificando se assim ficou mais claro o entendimento e responder as questões abaixo:


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Jeitinho brasileiro e as nossas pequenas corrupções

Trabalhando com a questão das pequenas corrupções, adaptei alguns conteúdos para discussão em sala com a turma dos 7º anos. Aproveitei para o uso do dicionário, e posteriormente produção de texto (os alunos tiveram acesso a outros textos, como a crônica do Walcyr Carrasco sobre Pequenas Corrupções).


Jeitinho brasileiro e as nossas pequenas corrupções

"Jeitinho", expressão brasileira para um modo de agir informal amplamente aceito, que se vale de improvisação, flexibilidade, criatividade, intuição, etc., diante de situações inesperadas, difíceis ou complexas, não baseado em regras, procedimentos ou técnicas estipuladas previamente. "Dar um jeito" ou "Dar um jeitinho" significa encontrar alguma solução não ideal ou previsível. Por exemplo, para acomodar uma pessoa a mais inesperada em uma refeição, "dá-se um jeitinho".
O "jeito" ou "jeitinho" pode se referir a soluções que driblam normas, ou que criam artifícios de validade ética duvidável.
    A expressão "jeitinho" no diminutivo em certos casos, assume um sentido puramente negativo, significando não só driblar mas violar normas e convenções sociais, uma forma dissimulada de navegação social tipicamente brasileira, na qual são utilizados recursos como apelo e chantagem emocional, laços emocionais e familiares, recompensas, promessas, dinheiro, e outros ou francamente antiéticos para obter favores para si ou para outrem, às vezes confundido ou significando suborno ou corrupção.
   Vamos conferir alguns exemplos:
  • Pagamento de propina, para ser aprovado no exame da carteira de habilitação de motoristas.
  • Dar dinheiro para o guarda de trânsito não aplicar uma multa. A frase "tem como dar um jeitinho?", não é necessariamente considerada suborno, apenas um apelo ao uso de flexibilidade, complacência.
  •   Deixar tudo para última hora: pagamentos, procedimentos burocráticos, responsabilidades.
  • Chorar para um vendedor o desrespeitando, para fazer seu trabalho mão de obra muito mais barato. 
  • Estacionar veículos, utilizar filas prioritárias e assentos destinados exclusivamente para idosos e deficientes. 
  •  Vender seu voto ou trocá-lo por algum benefício pessoal, como emprego, material de construção, cesta básica, etc.
  •    Na escola, dar uma olhada na resposta do colega (a famosa "Cola").
  • Andar com o veículo pelo acostamento.
  • Furar fila. 
  • Fazer ligação ilegal de serviços como TV a Cabo, Energia Elétrica, etc.
  • Apresentar atestado médico falso ou mentir que está doente.
  • Usar o vale refeição para fazer compras no supermercado.
  •  Vender ou comprar produtos falsificados e/ou contrabandeados.
  •  Não dar nota fiscal.
  • Falsificar carteirinha de estudante para obter descontos e benefício.
  • Bater o ponto de trabalho para o amigo.
Os adeptos do "jeitinho" consideram de alto status agir desta forma, como se isto significasse ser uma pessoa articulada, bem posicionada socialmente, capaz de obter vantagens inclusive ilícitas, consideradas imorais por outras culturas.


Atividades
Você sabe o significado das palavras abaixo? Procure no dicionário o significado que esteja de acordo com o contexto:
driblar –
ética-
antiético -
convenções sociais-
suborno-
corrupção-
artifícios –


2. Segundo o texto, o “jeitinho” brasileiro pode se caracterizar de três formas. Quais são?
3. Para você, quais os problemas que esse “jeitinho brasileiro traz para a sociedade?
4. Dos itens mencionados, quais você já presenciou ou soube que alguém conhecido fez?
5. O que você faria se encontrasse uma carteira com muito dinheiro ou um objeto de grande valor?
6. Você acha que o brasileiro se acostumou com a corrupção, por isso acha normal quando um político rouba ou age em benefício próprio? Justifique sua resposta.

Produção de texto


Temos visto o caso do Petrolão, ou a Operação Lava-jato, que é um escândalo nacional, de grandes proporções e muitas pessoas envolvidas, mas pouco se fala sobre as pequenas corrupções. O que você pensa a respeito?

Redija um pequeno texto sobre o assunto, use argumentos, dê exemplos.

sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Maneira de amar - Interpretação de texto

Um texto muito singelo, simples, e ao mesmo tempo profundo. 


MANEIRA DE AMAR
O jardineiro conversava com as flores e elas se habituaram ao diálogo. Passava manhãs contando coisas a uma cravina ou escutando o que lhe confiava um gerânio. O girassol não ia muito com sua cara, ou porque não fosse homem bonito, ou porque os girassóis são orgulhosos de natureza.
Em vão o jardineiro tentava captar-lhe as graças, pois o girassol chegava a voltar-se contra a luz para não ver o rosto que lhe sorria. Era uma situação bastante embaraçosa, que as outras flores não comentavam. Nunca, entretanto, o jardineiro deixou de regar o pé de girassol e de renovar-lhe a terra, na devida ocasião.
O dono do jardim achou que seu empregado perdia muito tempo parado diante dos canteiros, aparentemente não fazendo coisa alguma. E mandou-o embora, depois de assinar a carteira de trabalho.
Depois que o jardineiro saiu, as flores ficaram tristes e censuravam-se porque não tinham induzido o girassol a mudar de atitude. A mais triste de todas era o girassol, que não se conformava com a ausência do homem. 
“Você o tratava mal, agora está arrependido?” ”Não, respondeu, estou triste porque agora não posso tratá-lo mal. É a minha maneira de mar, ele sabia disso, e gostava”.


Carlos Drummond de Andrade, A cor de cada um. Ed. Record, 1997 (fragmento)

Interpretação

1.Assinale V  (verdadeiro) ou F (falso), de acordo com o texto:

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Jornal da turma - saiu a primeira edição


Saiu a primeira edição do jornal da turma dos 7º anos, com textos dos alunos, dicas de leitura...
Agora os alunos já começam a pensar na  pauta para a segunda edição.



Primeira edição do jornal da turma dos 7º anos

domingo, 2 de agosto de 2015

Folclore - Estrela das águas (lenda da Vitória-Régia) 5º/6ºanos- Interpretação

Essa lenda é uma adaptação, há muitas versões e acabei juntando duas ou três em uma só para trabalhar a leitura e interpretação com o tema Folclore Brasileiro com meus alunos dos 6º anos..


Estrela das águas

Há muito tempo, nas margens do majestoso Rio Amazonas, toda vez que a Lua se escondia no horizonte, parecendo descer por trás das serras, ia viver com suas índias prediletas, se a Lua gostava de uma jovem, a transformava em estrela do Céu. 

Naiá, filha de um chefe e princesa da tribo, ficou impressionada com a história. Apaixonou-se pela Lua. Então, à noite, quando todos dormiam e a Lua andava pelo céu, ela querendo ser transformada em estrela, subia as colinas e perseguia a Lua na esperança que esta a visse. 

E assim fazia todas as noites, durante muito tempo. Mas a Lua parecia não notá-la e dava para ouvir seus soluços de tristeza ao longe.
Em uma noite, a índia viu, nas águas límpidas do rio, a figura refletida da Lua. A pobre moça, imaginando que a Lua havia chegado para buscá-la, se atirou nas águas profundas do lago e nunca mais foi vista.
Tupã que tudo via, ficou com pena da jovem índia, resolveu transformá-la em uma estrela diferente daquelas que brilham no céu. Transformou-a então numa "Estrela das Águas", que é a planta vitória-régia, que floresce em todas as luas.          
Eis aí, como nasceu, da imaginação fértil e criadora de nossos índios, a história da Vitória-Régia, ou Uapê, ou Iapunaquê-uapê, a maior flor do mundo.

Entretanto, Uapê só abre suas pétalas à noite, para poder abraçar a lua, que se vem refletir em sua aveludada corola.        

Assim, nasceu uma planta cujas flores perfumadas e brancas só abrem à noite, e ao nascer do sol ficam rosadas. 
(A lenda da Vitória-Régia - adaptação)

Após ler a lenda, responda: