Atenção

Para compartilhar as atividades do Blog TEXTO EM MOVIMENTO em outros blogs é preciso ter autorização prévia. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Sugestão para relatório de filme


Nome: _________________________________________________Série: _____ Nº____

 

Relatório - Filme

 

Data de exibição: ___/____/2012                           Local: ____________________________

Título do filme:_____________________________________________________________

Ano de realização: ___ /_____ /______

Assunto: ______________________________________

Diretor: _______________________________________

Atores principais:___________________________________________________________

 

Personagens principais: _____________________________________________________

 

Breve síntese da história:
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


Momentos do filme considerados mais importantes: ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Momentos que têm mais ligação com a matéria das aulas: ________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

Opinião pessoal ou de grupo sobre o filme: _____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Atividade: 5º/6º Anos - Pontuar para herdar

Esta atividade é bastante simples e conhecida, mas muito interessante para que o aluno perceba que saber pontuar é importante ao escrever um texto coerente.
Pontuar para herdar
Um homem rico estava muito doente e ainda não tivera tempo de fazer o testamento.
Com medo que sua herança caísse em mão erradas, pegou uma folha e escreveu:

Deixo meus bens à minha irmã não ao meu sobrinho jamais ao mordomo
Não teve tempo de terminar e nem de pontuar, morreu ao lado da folha. Quem chegar primeiro e pontuar o que está escrito, fica com a herança. Pontue o texto,
1 - se fosse a irmã;
Deixo meus bens: à minha irmã, não ao meu sobrinho, jamais ao mordomo
2 - se fosse o sobrinho;
3- se fosse o mordomo

domingo, 19 de agosto de 2012

Atividade - Produção Coletiva de texto

Texto Frankenstein
 Essa atividade é bastante interessante, fizemos uma oficina no encontro com um escritor renomado. Dei uma reformulada e resolvi dar esse título pois o texto  nasce das partes, nem sempre conexas...mas no final há sempre grandes surpresas.
 Etapas:
1.Dividir a turma em grupos 6 a 8 integrantes (todos os grupos devem ter a mesma quantidade de alunos).
2. Cada  grupo  deve estar dispostos de modo que o último integrante esteja ao lado do primeiro:
2
3
4
8
7
6
5


3. Distribuir uma folha para cada integrante.
4. Pedir aos alunos que deixem um espaço ou umas 3 linhas do início e começar um texto, pode ser qualquer tipo de texto, o que lhes vier á mente. O sucesso do grupo depende de cada integrante, todos devem estar atentos ao comando para COMEÇAR.
5. Percorra pelos grupos e quando perceber que todos já escreveram no mínimo 3 linhas, dar o comando para PARAR.
6. Peça que os integrantes do grupo passe  sua folha para quem estiver à sua direita. Cada integrante deve ler rapidamente o parágrafo que recebeu e continuar, com coerência o texto.
7. Continue dando os comandos para a TROCA das folhas até ela voltar para quem escreveu o primeiro parágrafo.
8. Nesse momento, peça que cada um escreva o final para o texto que começou, escolha um título interessante. Cada grupo deve socializar as produções e escolher o melhor texto para socializar com os demais grupos.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Atividade -Texto para interpretação - O clima em mutação


O clima em mutação
O  que dizem os cientistas sobre as chuvas na Europa e o fogo que destruiu florestas
no Brasil e em Portugal

           Furacões cada vez mais constantes. Chuvas torrenciais como as que provocaram deslizamento de terra e enchentes na Suíça, Alemanha e Áustria. E que soaram o alarme na Romênia, onde milhares ficaram desabri­gados e mais de três dezenas morreram arrastadas pelas enxurradas. A lista de catástrofes climáticas da semana passada inclui ainda o verão mais quente dos últimos 15 anos na Península Ibérica. Só em Portugal, foram mobilizados quatro mil bombeiros, quase mil veículos e 40 aeronaves para conter a fúria das chamas que destruíram uma área verde do tamanho de 30 mil campos de futebol
          No Brasil, a má notícia ficou por conta das chamas que engoliram metade de um parque nacional na ilha Bandei­rante, no Paraná. São todos sinais da tão anunciada mudança climática, certo?
         A resposta é sim e não. Quando se trata de prever o clima, não há certezas absolutas. impossível garantir de pés juntos que o aumento na incidência desses even­tos extremos não seja conseqüência da mudança climática", diz o pesquisador - Paulo Artaxo, da Universidade de São Paulo (USP). "Mas também é impossível garantir que seja", completa.
        Estudar o clima é uma atividade com­plexa por vários motivos. Primeiro porque as análises meteorológicas levam muitas coisas em consideração, como a quantidade de poluentes emitidos pelas chaminés e a capacidade de as florestas em absorver esses gases causadores do efeito estufa, que criam uma capa protetora e impedem o calor do Sol de voltar ao espaço. Também não existe um único sistema de previsão climática, o que inviabiliza análises comparativas.
         Por último, é impossível colocar em prática experimentos de longo prazo. A verdade é que não há conhecimento suficiente para garantir as flutuações do clima no médio e longo prazo. Diante da tamanha ignorância, os cientistas alertam, é importante cuidado com o que lançamos na atmosfera. "Não pode­mos tratá-Ia como uma gigantesca lata de  lixo porque isso cedo ou tarde pode trazer sérias conseqüências", avisa Artaxo. Ele compara o clima da Terra a um doente:
     "Enquanto não se sabe qual é a doença, o melhor remédio é não abusar"
      [  ... ]

DARLENE MENCONI. ISTO É. 21 set 2005
(Fragmento).

 Vocabulário:

torrenciais – abundantes/excessivas
incidência – ocorrência
inviabiliza- impede/impossibilita
flutuações- mudanças

Para ver as questões sugeridas, clique abaixo:

1.Este texto é trecho de uma reportagem publicada numa revista.

a)Qual o título?

b)Quem escreveu?

c)Em qual revista foi publicado?


2..Qual é o assunto abordado no texto? Assinale a alternativa correta:

(   ) poluição ambiental                                               (   ) ecologia

(   ) chuvas e queimadas na América do Norte          (   ) mudanças climáticas Brasil e exterior

3.O que os cientistas já concluíram a esse respeito? Assinale a alternativa correta:

(   ) a culpa é só do ser humano

(   ) o ser humano não tem culpa do que acontece

(   ) que ainda não há conhecimento suficiente para explicar as causas dessas mudanças climáticas.

(   ) é um problema da própria natureza


4.As informações da reportagem foram obtidas junto a um especialista. Qual o nome dele?

5.Por que os cientistas nos aconselham a tratar a natureza com maior respeito?

6.Na sua opinião, como o homem tem tratado a natureza? O que tem contribuído para que ocorram tantas mudanças climáticas?

7. Cite um problema ambiental recente que foi amplamente divulgado pela mídia (qual, em que local e as consequências).

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Vinte e uma coisas que aprendi como escritor - Moacyr Scliar


Vinte e uma coisas que aprendi como escritor



Moacyr Scliar

APRENDI que escrever é basicamente contar histórias, e que os melhores livros de ficção que li eram aqueles que tinham uma história para contar.

APRENDI que o ato de escrever é uma seqüela do ato de ler. É preciso captar com os olhos as imagens das letras, guardá-las no reservatório que temos em nossa mente e utilizá-las para compor depois as nossas próprias palavras.

APRENDI que, quando se começa, plagiar não faz mal nenhum. Copiei descaradamente muitos escritores, Monteiro Lobato, Viriato Correa e outros. Não se incomodaram com isto. E copiar me fez muito bem.

APRENDI que, quando se começa a escrever, sempre se é autobiográfico, o que - de novo - não prejudica. Mas os escritores que ficam sempre na autobiografia, que só olham para o próprio umbigo, acabam se tornando chatos.

APRENDI que, para aprender a escrever, tinha de escrever. Não adiantava só ficar falando de como é bonito ( ... )

APRENDI que uma boa idéia pode ocorrer a qualquer momento: conversando com alguém, comendo, caminhando, lendo (e, segundo Agatha Christie, lavando pratos).

APRENDI que uma boa idéia é realmente boa quando não nos abandona, quando nos persegue sem cessar. O grande teste para uma idéia é tentar se livrar dela. Se veio para ficar, se resiste ao sono, ao cansaço, ao cotidiano, é porque merece atenção.

APRENDI que aeroportos e bares são grandes lugares para se escrever. O bar, por razões óbvias; o aeroporto, porque neles a vida como que está em suspenso. Nada como uma existência provisória para despertar a inspiração literária.

APRENDI que as costas do talão de cheque é um bom lugar para anotar idéias (é por isso que escritor tem de ganhar a grana suficiente para abrir uma conte bancária). O guardanapo do restaurante também serve, desde que seja de papel e não de pano. (...)

APRENDI que o computador é um grande avanço no trabalho de escrever, mas tem um único inconveniente: elimina os originais, os riscos, os borrões, e portanto a história do texto, a qual - como toda história - pode nos ensinar muito.

Atividade -Interpretação de texto - Carta do leitor


A)Leia a carta e a resposta, responda  as questões de 1 a 5:

 "No  dia 1o, o fiscal me impediu de expor na feira do Trianon. Me inscrevi em 2004, fiz teste de aptidão, paguei taxas de uso de solo e de licença, e comecei a
trabalhar na semana seguinte. O juiz que cassou a liminar provavelmente nem leu o processo. Nossa advogada anexou documentos provando a legalidade dos
expositores 􀀐 que estão com problemas porque funcionários da Prefeitura perderam os documentos de quem fez teste em 2004. Nós, artesãos, criamos objetos
de arte considerados cultura no mundo todo 􀀐 menos no Brasil. E, aos 63 anos, não tenho perspectiva de conseguir outro trabalho"
José Eduardo Pires
Vila Maria Alta
A Prefeitura responde:
Com referência à feira do Trianon, jamais houve perda de documentos. No início de 2006, a Sub Pinheiros entregou as pastas de documentação para a Sub Sé.
Na análise técnica do material, viu-se que havia expositores trabalhando,irregularmente, sem que as aprovações fossem publicadas no Diário Oficial da
Cidade de São Paulo, obrigatórias para que a comunidade saiba quem foram os aprovados e as atividades para as quais estão autorizados.
Andrea Matarazzo
Secretário das Subprefeituras e Subprefeito da Sé
(São Paulo Reclama. O Estado de S.Paulo, 12 de agosto de 2007, p. C2)



1.A carta do leitor identificado acima tem a finalidade de:

(A) defender a venda de produtos de artesanato, como símbolos de cultura.

(B) queixar-se do fato de ter sido impedido de trabalhar numa feira de artesanato.

(C) dirigir-se ao juiz que desconsiderou as razões apresentadas por uma advogada.

(D) solicitar a interferência de uma advogada para defender seus direitos.

2.A Prefeitura defende a tese de que:

(A) os funcionários devem ser responsabilizados por terem desviado documentos, prejudicando os artesãos queixosos.

(B) os fiscais se precipitaram ao impedir o funcionamento da feira de artesanato antes de encontrarem os documentos perdidos.

(C) os artesãos queixosos aparentemente têm razão suficiente para reclamações, mas os responsáveis já estão tomando as medidas cabíveis.

(D) os requisitos legais exigidos para expor e vender trabalhos na feira de artesanato devem  ser cumpridos por todos os envolvidos nessa situação.



3.É correto afirmar que o reclamante é:

(A) um idoso, sem outra alternativa qualquer de trabalho.

(B) uma autoridade responsável pelo cumprimento das leis.

(C) um funcionário, acusado de ser o responsável pela perda de documentos.

(D) um fiscal, que justifica sua atitude em fazer cumprir ordens superiores.

4.O argumento apresentado pelo remetente da carta, para defender sua licença de trabalho, está no fato de que:

(A) é um artesão, que cria obras de arte reconhecidas no mundo inteiro.

(B) é um idoso que deve ser tratado com mais respeito por pessoas mais jovens.

(C) cumpriu todas as exigências legais necessárias, junto à Prefeitura.

(D) ignora o fato de o juiz ter tomado conhecimento das medidas adotadas contra ele.

5.Considerando-se a carta do leitor e a resposta da Prefeitura, é correto afirmar que:

(A) ambas apresentam a mesma opinião referente à proibição de trabalhar numa feira.

(B) elas divergem quanto à origem do problema surgido com a fiscalização do trabalho.

(C) o Subprefeito aceita a opinião do Remetente, propondo-se a autorizar seu trabalho.

(D) a opinião da Advogada dos queixosos é idêntica à dos funcionários da Prefeitura

GABARITO

1B,2D,3A,4C,5B

A tecnologia em nossas vidas


Tecnologias na nossa vida


Fátima Pereira


            Vivemos em plena Revolução Tecnológica, e em como toda revolução, as mudanças são profundas e radicais. Todo dia surge algo novo, fantástico que desperta o interesse de milhões de pessoas ao redor do mundo, invenções ou descobertas que mudam a vida para melhor e outras, infelizmente nem tanto. Pode ser um chip capaz de devolver os movimentos a um tetraplégico, ou um novo dispositivo de guerra, um computador que cabe na palma da mão, robôs cada vez mais autossuficientes, tudo graças à tecnologia.

            É inconcebível pensar o mundo hoje sem toda essa tecnologia. Desde que o dia amanhece lá estão os aparatos tecnológicos. Agora nem precisamos mais daquele relógio barulhento para acordar, o celular nos desperta, no café da manhã, quem não usa o micro-ondas? Já começamos o dia enviando  SMS. Se o trânsito estiver ruim, dá para ouvir música MP3 enquanto o destino não chega. E entre os materiais que carregamos para o trabalho, o notebook ou outro computador portátil é item fundamental. Agora fica mais fácil, dá para acessar a internet de qualquer lugar e nem precisa ser de um PC.

            Por falar internet, basta um click, um comando e a janela para o mundo se abre.  Cada vez fica mais fácil a comunicação entre as pessoas, o conhecimento de outras culturas. Os acontecimentos nos chegam instantaneamente. E agora tem também a TV digital, que traz o mundo para nossa sala, as imagens são tão reais e os aparelhos com telas cada vez maiores, um verdadeiro sonho de consumo.

            Sim, a tecnologia é bendita! Podemos fazer um amigo lá em Marrocos, outro na Austrália, no Japão, em qualquer lugar do mundo. Trocar informações e pesquisas com pessoas da nossa área, fazer compras, pagamentos. Podemos assistir palestras, consultar bibliotecas, fazer cursos sem ter que sair de casa ou do escritório e muito mais. Para isso basta conectar-se.

            Num instante, ficamos sabendo o que acontece em qualquer parte. Infelizmente ainda vemos que as guerras continuam, que as pessoas se matam por banalidades e em muitos países ou mesmo lugares mais próximos a nós, a tecnologia não chegou a todos.

            O homem é capaz de ir a outro planeta, mas ainda não descobriu como acabar com as mazelas do mundo. E com a globalização, cada vez mais as diferenças ficam expostas. O sonho de consumo de muitas crianças e jovens é um copo de água potável e um prato de comida. Com todo esse avanço tecnológico, o homem não conseguiu resolver questões básicas, como a miséria, a mortalidade infantil, a violência, entre outras. Mas graças ao poder da comunicação, as pessoas estão aprendendo a cobrar mais dos seus governantes, a exercer seus direitos e a lutar para um mundo mais justo, a descruzar os braços.

             Como professores, precisamos estar antenados com as novas tecnologias e  saber usá-las da melhor forma e orientar nossos alunos para os benefícios e riscos dessas ferramentas que estarão cada vez mais presente na vida de todos. A escola deve disponibilizar aos alunos uma formação condizente à realidade, para que esse aluno possa atuar na sociedade, tornando-se cidadão responsável, crítico e capaz de contribuir para uma sociedade mais justa e humana.


Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Atividade: Vaguidão específica

Objetivo: perceber a importância  de se construir um texto claro, compreensível e que transmita a ideia que se deseja passar ao leitor.

Etapas:
  • Levantamento de hipóteses: a começar pelo título - como algo pode ser vago e específico ao mesmo tempo?
  • Leitura do texto - quem são as mulheres que participam do diálogo? / do quê estão falando?
  • Sublinhar as palavras ou expressões quedeixam  essa  ideia vaga, exemplo:
― Maria, ponha isso lá fora, em qualquer parte. (isso o quê?) (pôr onde?)
― Junto com as outras? (outras o quê)
  • Reescrever o texto, resolvendo as questões de vaguidão que foram sublinhadas.
Obs.: 1. Lembrar que o autor do texto faz uma sátira a partir das ideias que as mulheres falam muito e que só elas se entendem.
2.essa atividade poderá ser realizada em dupla.


Vaguidão específica   
“As mulheres têm um jeito de falar a
 que chamamos vaguidão específica.”

― Maria, ponha isso lá fora, em qualquer parte.
― Junto com as outras?
― Não ponha junto com as outras, não. Senão pode vir alguém e fazer qualquer coisa com elas. Ponha no lugar do outro dia.
  Sim, senhora. Olha , o homem está aí.
― Aquele de quando choveu?
― Não, o que a senhora foi lá e falou com ele no domingo.
― Que é que você disse a ele?
― Eu disse para ele continuar.
― Ele já começou?
― Acho que já. Eu disse que podia principiar por onde quisesse.
― É bom?
― Mais ou menos. O outro parece mais capaz.
― Você trouxe tudo para cima?
― Não, senhora. Só trouxe as coisas. O resto não trouxe porque a  senhora recomendou para deixar até a véspera.
― Mas traga, traga. Na ocasião, nós descemos tudo de novo. É melhor, senão atravanca a entrada e ele reclama como na outra noite.
― Está bem. Vou ver como.
 Millôr Fernandes

Sugestão de atividade - Quem sou eu

Etapas:
  • Leitura do texto;
  •  Responder as questões (o professor pode apenas fazer as perguntas e deixar que os alunos reflitam ou pedir que o façam por escrito);
  •  Produção de texto.

IDENTIDADE

QUEM SOU EU

       
    Você, jovem, alguma vez parou e pensou:
    
       Quem sou?
       O que significa ser gente?
       Tenho procurado descobrir-me?
       Quais os meus defeitos?
       E as minhas virtudes?
       O que eu quero da minha vida?
       Para mim o que é importante na vida?

    Se já pensou nisso, está convidado a continuar. Se não, aceite a sugestão: comece a descobrir-se!
Não deixe para amanhã.
     Há muito interesse na juventude de hoje. Existem pessoas querendo identificar o jovem. Algumas são movidas pelo espírito cientifico e educacional, como os sociólogos, psicólogos, antropólogos, pedagogos, professores e, às vezes, até seus próprios pais!
     Querem saber que é o jovem atual, verdadeiro. O que ele quer?
      Desejam saber porque você às vezes, é rebelde, capaz de grande heroísmo, e, por outro lado, de pequenas covardias também. Você fica revoltado com as grandes injustiças, mas em casa fica revoltado é injusto com seus próprios irmãos...
      Outras têm sua atenção voltada para o jovem porque ele representa um imenso potencial de consumo. Por exemplo, o que aconteceria a certas fábricas de refrigerantes, a algumas gravadoras de discos, aos fabricantes e comerciantes da moda, às editoras de livros e revistas, aos traficantes de drogas, às emissoras de rádio e televisão, se o jovem não fizesse o jogo deles?
      Outras ainda veem o jovem como uma arma política, cuja força deve ser manipulada, controlada a seu favor, ou então marginalizada.
       Enfim, você está bombardeado de todos os lados.
                                                                 (L. Kirchner)
    
    
2.Leia o texto e responda :

Quem sou eu?
Quais os meus defeitos e minhas qualidades?
O que eu quero da vida?Quais são os meus ideais?
Sou coerente com o que eu penso e faço? Por quê?
Já encontrei o meu caminho ou ainda estou perdido na multidão?
Qual a minha reação quando recebo uma cr’tica positiva ou negativa?
O que é ser manipulado?
Até que ponto sou condicionado pela sociedade de consumo em que estou inserido?
Como preservo minha individualidade diante das pressões da sociedade(família, escola, colegas, novidades etc.).



3. Escreva  um texto falando de você. Aproveite as idéias que você colocou nas respostas do exercício anterior. Acrescente novas idéias ,  expresse o que pensa.


                                                                                                           
                                                                                                           


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Interpretação de texto - Adrenalina Pura

ADRENALINA PURA

           Você tem medo do escuro? Medo da altura? Medo de animais ferozes? Os motivos podem variar, mas todos nós temos diversos medos. Por que será que sentimos medo? O que acontece em nosso cérebro quando nos amedrontamos? Como reage nosso corpo? Será que os medos nascem conosco ou são aprendidos?

          Quando sentimos medo, uma série de reações orgânicas ocorre. O coração dispara, os pêlos se arrepiam, a respiração fica mais acelerada, dá um friozinho na barriga. Em alguns casós, não conseguimos nos mexer, simplesmente empacamos diante de uma situação de perigo. Também é comum ficarmos alertas a tudo o que se passa no ambiente - os ruídos, os cheiros, as sombras. A imaginação vai a mil nesses momentos.

           Essas respostas do nosso corpo são produzidas a partir de um comando do cérebro. O estímulo que acarreta o medo - uma cobra no meio do caminho, por exemplo - é enviado por meio da visão e ativa a amígdala cerebelar, estrutura do cérebro que coordena as reações a esta informação. É liberado um hormônio, a famosa adrenalina, que faz com que ocorram as respostás. A adrenalina também é liberada quando fazemos exercícios, gerando reações orgânicas semelhantes: aumento no número de batidas do coração, respiração ofegante, estado de alerta etc.

            O medo não é característica exclusiva dos seres humanos. Os animais também têm medo. Um gato, quando está com medo, arqueia as orelhas, tenta golpear com a pata, fica com o pêlo eriçado, o dorso encurvado, mostra os dentes.

            Muitas vezes pensamos no medo como algo negativo, mas, na realidade, a sua função é de nos proteger. As reações desencadeadas pelo medo fazem com que o nosso corpo se prepare para enfrentar uma situação de perigo. Quando aumenta o número de batidas do coração e o ritmo da respiração, o sangue circula com mais rapidez e vai para os músculos, deixando-os mais oxigenados e vigorosos. O organismo fica mais disposto para a fuga ou para a luta.

            O medo, portanto, muitas vezes vem a nosso favor, e não contra nós. Sem esse  instinto, será que o homem teria sobrevivido todos esses anos, da pré-história até os nossos dias, em meio a tantos predadores?

SHEILA  KAPLAN. Adrenalina pura! Ciência hoje das crianças, Rio de Janeiro, ano 12, n. 88, jan./fev. 1999. p. 3-5

Para ver as questões, clique abaixo:

O analfabeto político


Em ano de eleição, essa questão fica mais evidente...



O Analfabeto Político
(Bertold Brecht)

O pior analfabeto
É o analfabeto político,
Ele não ouve, não fala,
Nem participa dos acontecimentos políticos.
Ele não sabe o custo da vida,
O preço do feijão, do peixe, da farinha,
Do aluguel, do sapato e do remédio
Dependem das decisões políticas.
O analfabeto político
É tão burro que se orgulha
E estufa o peito dizendo
Que odeia a política.
Não sabe o imbecil que,
da sua ignorância política
Nasce a prostituta, o menor abandonado,
E o pior de todos os bandidos,
Que é o político vigarista,
Pilantra, corrupto e lacaio
Das empresas nacionais e multinacionais.

domingo, 5 de agosto de 2012

Verbos - exercícios - parte 1

Atividades - verbos
Para as questões de 1 a 4, assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas:

1. “É preciso  que _________novidades interessantes que _______e  ____________ao mesmo tempo.”

a)surjam/ divertem/instruam                    
b) surjam/divirtam/instruam
c)  surjam/divirtam/instruem                        
d) surgem/divirtam/instruam

2. “ Quando _________________maior, o menino __________________o motivo da separação dos pais.
a) estivesse / compreenderá   
b) esteja  / compreendera
c) estiver  / compreendia        
d) estiver  /  compreenderá                                              

3. “O aluno foi __________na prova de Inglês, ________não sabe:se você o _________, avise-o.”

a)  mal /mas /vir                    b) mau/ mais / ver                     c)  mau / mas / vir                 d)  mal / mais / ver    

4.  “Se o professor _________o nosso trabalho, ___________um elogio.”

a)  ver  / fará                      b)  visse  / faria                           c)   vir  / fará                      d)  ver  / fazerá

 5. Em “ Queria que me ajudasses”, o trecho abaixo poderia ser substituído por:
a) a tua ajuda                  b) a ajuda de você                 c)  a sua ajuda                d) a ajuda deles

6. Observando a correlação temporal, assinale a alternativa que completa a frase:
“Era provável que eles ______ hoje”.


a) virão;                             b) venham;            c) viessem;                       d) vêem;


7. Assinale a alternativa em que todas as formas verbais pedidas estejam certas:
Haver (presente subjuntivo, 1ª pessoa do singular);
Crer (presente indicativo, 3ª pessoa do plural);
Passear (presente subjuntivo, 2ª pessoa do plural).

a) haja – crêem – passeeis;
b) haje – crêm – passeieis;
c) haje – creem – passeais;
d) hajai – creim – passeiais;
e) haja – creiem – passeies.
8. Considere as frases:
“Eles querem que nós (fazer) o trabalho”.
“Fazemos esforços para que todos (caber) na sala
”.

Flexionando corretamente os verbos indicados, teremos:
a) façamos – cabem;                     b) fazemos – caibam;
c) fazemos – coubessem;             d) façamos – caberem;
e) façamos – caibam.

9. Observando a correlação temporal entre a forma verbal destacada na frase e a forma verbal que você iria colocar no espaço, complete as frases abaixo com a alternativa correta:
1 - teremos amigos quando nós _______ ricos (ficar)
2- teríamos amigos, se nós __________ ricos (ficar)
3- tínhamos amigos quando nós ________ ricos (ser)
4 -temos amigos quando nós _________ ricos (ser)
5 - temos amigos enquanto __________ ricos (ser)
Qual a alternativa que preenche respectivamente os espaços acima?

a) ficamos – ficássemos – seremos – seremos – somos;
b) ficamos – ficarmos – fomos – somos – fomos;
c) fiquemos – ficássemos – éramos – somos – somos;
d) ficarmos – ficamos – somos – fumos – samos;
e) ficarmos – ficássemos – éramos – fomos – samos.