Atenção

Para compartilhar as atividades do Blog TEXTO EM MOVIMENTO em outros blogs é preciso ter autorização prévia. Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Interpretação de texto - Adrenalina Pura

ADRENALINA PURA

           Você tem medo do escuro? Medo da altura? Medo de animais ferozes? Os motivos podem variar, mas todos nós temos diversos medos. Por que será que sentimos medo? O que acontece em nosso cérebro quando nos amedrontamos? Como reage nosso corpo? Será que os medos nascem conosco ou são aprendidos?

          Quando sentimos medo, uma série de reações orgânicas ocorre. O coração dispara, os pêlos se arrepiam, a respiração fica mais acelerada, dá um friozinho na barriga. Em alguns casós, não conseguimos nos mexer, simplesmente empacamos diante de uma situação de perigo. Também é comum ficarmos alertas a tudo o que se passa no ambiente - os ruídos, os cheiros, as sombras. A imaginação vai a mil nesses momentos.

           Essas respostas do nosso corpo são produzidas a partir de um comando do cérebro. O estímulo que acarreta o medo - uma cobra no meio do caminho, por exemplo - é enviado por meio da visão e ativa a amígdala cerebelar, estrutura do cérebro que coordena as reações a esta informação. É liberado um hormônio, a famosa adrenalina, que faz com que ocorram as respostás. A adrenalina também é liberada quando fazemos exercícios, gerando reações orgânicas semelhantes: aumento no número de batidas do coração, respiração ofegante, estado de alerta etc.

            O medo não é característica exclusiva dos seres humanos. Os animais também têm medo. Um gato, quando está com medo, arqueia as orelhas, tenta golpear com a pata, fica com o pêlo eriçado, o dorso encurvado, mostra os dentes.

            Muitas vezes pensamos no medo como algo negativo, mas, na realidade, a sua função é de nos proteger. As reações desencadeadas pelo medo fazem com que o nosso corpo se prepare para enfrentar uma situação de perigo. Quando aumenta o número de batidas do coração e o ritmo da respiração, o sangue circula com mais rapidez e vai para os músculos, deixando-os mais oxigenados e vigorosos. O organismo fica mais disposto para a fuga ou para a luta.

            O medo, portanto, muitas vezes vem a nosso favor, e não contra nós. Sem esse  instinto, será que o homem teria sobrevivido todos esses anos, da pré-história até os nossos dias, em meio a tantos predadores?

SHEILA  KAPLAN. Adrenalina pura! Ciência hoje das crianças, Rio de Janeiro, ano 12, n. 88, jan./fev. 1999. p. 3-5

Para ver as questões, clique abaixo:

1.Título do texto____________________________________________________

Autor: ___________________________________________________________

      Em qual revista foi publicado?


2. São reações orgânicas provocadas pelo medo:

(A) coceira nas mãos e choro intenso.

(8) coração disparado e friozinho na barriga .

.. (C) redução da produção de hormônio e desatenção

   (D) sonolência e falta de concentração.


.  3. "Essas respostas do nosso corpo são produzidas a partir de um comando do cérebro." (3º. parágrafo) No trecho, a expressão destacada refere-se a:

(A) alguns estímulos visuais.

(B) menos liberação de adrenalina.

(C) mais ativação ,da amígdala.

(D) uma série de reações orgânicas

     4. O  medo nem sempre é negativo? Justifique sua resposta.

    5. Depois de ser liberado pelo cérebro, o que o hormônio adrenalina provoca?

 6. a)De acordo com o texto, o medo ajuda os animais a se defenderem do perigo.  Por que?

 b)Você tem algum medo? De quê?

Nenhum comentário:

Postar um comentário